Negócios

Negócios

Morre dono do Armazém Paraíba e São Luís Shopping no Piauí

G1 Piauí

O empresário João Claudino Fernandes morreu aos 90 anos de idade, nesta sexta-feira (24), em Teresina. O co-fundador do Grupo Claudino estava doente há algum tempo. Ainda não há detalhes sobre a causa da morte do empresário. A família informou que não haverá velório.

O paraibano abriu o Armazém Paraíba em Teresina no ano de 1968. Ao longo de mais de 50 anos de trabalho no ramo empresarial, João Claudino se tornou dono de uma das maiores redes varejistas do Nordeste, tendo mais de 10 empresas com sedes na capital piauiense e empregando mais de 17 mil funcionários.

João Claudino começou nos negócios junto com o irmão Valdecy, mas os irmãos decidiram separar as empresas em 2013. Valdecy ficou com a Socic (Sociedade Comercial Irmãs Claudino), que abriga os negócios de transportes, a administradora de cartões de crédito e o São Luís Shopping. João ficou com o Grupo Claudino, que controla o Teresina Shopping, a Houston e o Armazém Paraíba.

Negócios

Fato ou Fake: Ilson Mateus está internado com COVID-19?

Foi noticiado que o empresário Ilson Mateus, do Grupo Mateus, estaria internado no Hospital UDI vitimado pela COVID-19. É fato ou fake?

A Carta Política procurou o Grupo Mateus para saber o estado de saúde do empresário.

O empresário, segundo sua assessoria de imprensa, goza de saúde e tem trabalhado todos os dias durante esta pandemia e não estaria testado positivo pelo novo coronavírus.

Negócios

Novo decreto de Flávio Dino atinge Mateus; somente 50% da capacidade de atendimento

A superlotação dos mercados, principalmente do gigante Supermercado Mateus, preocupou as autoridades sanitárias do estado que estão em alerta com o número crescente de casos no Maranhão, especialmente em São Luís.

Os supermercados, mercados, quitandas e afins devem seguir, com no máximo 48h, as seguintes regras

Confira

  • Limitar pela metade o atendimento da loja
  • Apenas uma pessoa por família. Exceto quando a pessoa necessitar de auxílio
  • Consumidores só podem entrar no estabelecimento se estiverem usando máscaras. É necessário higienizar as mãos na entrada, com água e sabão ou álcool em gel.
  • Os estabelecimentos devem: reduzir pela metade a quantidade de carrinhos, cestas e vagas no estacionamento, quando houver

!! Baixe aqui o novo decreto do governador Flávio Dino

Críticas da classe política

Os deputados Dr. Yglésio (PROS) e Zé Inácio (PT) fizeram críticas em suas redes sociais, direcionadas ao Grupo Mateus. Zé Inácio questionou quanto o não parcelamento de compras em cartões que não sejam o Mateus Card (cartão da loja).

Já a preocupação do deputado Yglésio, que também questionou as formas de pagamento, foi direcionada aos cuidados sanitários dentro da loja.

“Até quando os teus supermercados, Mateus, vão colocar em risco a saúde de clientes e funcionários?”, perguntou Yglésio em vídeo postado em suas redes sociais e que circula em grupos de WhatsApp.

O parlamentar diz que as denuncias é que não há controle de acesso nem medidas necessárias para higienização e proteção de clientes e funcionários. Também levantou a questão de aumentos de preços injustificáveis, segundo deputado, de produtos básicos.

Coronavírus, Negócios

Mateus Supermercado, em tempo de pandemia, só divide se for no cartão da loja

Essa regra é não de hoje. Não parcelar em outro cartão que não seja o Mateus Card, durante os primeiros 20 dias de cada mês. Acontece, que neste momento em que o governo faz concessões de crédito para a população e benefícios para empresário, o Grupo Mateus podia pensar um pouco mais em todo o maranhense. Já que é a maior rede e a que reina no mercado maranhense.

O deputado estadual Zé Inácio (PT) levou a discussão para as redes sociais. A denuncia foi feita por clientes. Para o petista, o Mateus tem que ter responsabilidade com o povo maranhense por ser a maior rede de produtos alimentícios do estado.

“A postura de impedir o parcelamento de compras em cartões de crédito que não sejam da bandeira da loja é um risco às famílias maranhenses, posto que essa atitude demonstra o descompromisso com a situação momentânea do país, além de configurar um evidente abuso contra os consumidores”, disse Zé Inácio.

Apesar do Grupo Mateus ser uma das empresas que têm ajudado o Governo do Maranhão. Até depois de uma crítica feita pela A Carta Política. Parece que a rede varejista dá com uma mão e tira com outra.