O deputado estadual Yglésio Moyses (PROS), repercutiu na Assembleia Legislativa a crise da segurança pública vem vivendo nos últimos dias em São Luís e no Estado do Maranhão. Segundo o deputado, ele já chegou a pedir ao governador Flávio Dino que exonerasse ao Comandante Geral da Policial Militar, o Coronel Pedro Ribeiro.

“Quando nos chegamos ao ponto de pedir a exoneração de um posto da mais alta confiança dentro da hierarquia da Policia Militar, nos precisamos dar um basta nesta opressão que tem sido a regra dentro da corporação, nos precisamos dar um basta nas perseguições, perseguições de policiais mulheres, perseguições de oficiais que foram tolhidos da suas funções altamente especializadas. A sociedade hoje não vive o estado de segurança que vivia alguns meses atrás, antes da nomeação do Coronel Pedro Ribeiro.” Afirmou Yglesio.

Ainda em seu pronunciamento, Yglesio fez duras críticas ao secretário de segurança pública do Maranhão, Jefferson Portela.

De acordo com o deputado, e a primeira vez na história do Maranhão que uma pessoa que tem esse alto posto da segurança se coloca como cabo eleitoral de candidato a prefeito. Quem garante a segurança das eleições, do processo democrático, se posicionar politicamente.

Yglseio afirmou que lá para frente, a estrutura estadual, a secretária de segurança pública será utilizada para benefício político, durante as eleições de 2022.

“O Maranhão tem tantos problemas, que quem está na função do executivo é preciso está focado. Não há de se pensar em cargos de secretários voltados para eleições para mandatos em 2022.”

Finalizando o seu pronunciamento, Yglésio atribuiu a onda violência em São Luís a falta de concentração na função do secretário. Afirmou que tem mais de um ano que a “Lei de Recompensa” de sua autoria, foi aprovada e nunca foi feito um decreto, porque o secretário de segurança publica nunca preparou o documento.

FONTE: FOLHA DO MARANHÃO