Opinião

Análise: Wellington renasce na pesquisa Emet e inviabiliza estratégia do PSDB ir pra Braide, governo também comemora

O Instituto Emet divulgou, nesta sexta-feira (14), os números da pesquisa que consultou a preferência do eleitor para a eleições em São Luís. Até as convenções, as pesquisas estão sendo apreciadas mais pelos olhos políticos do que do próprio eleitorado.

As articulações, dúvidas e possibilidades estão abertas em um jogo que até a ex-governadora Roseana Sarney pode encampar em candidatura da base aliada de seu quase-ex-adversário, Flávio Dino (PCdoB).

Por isso, há muito interesse de legendas em outras legendas para aglutinar força política e artilharia para quando realmente começar as eleições, após as convenções.

As últimas pesquisas vinham demonstrando um definhamento do pré-candidato Wellington do Curso (PSDB), seguido de rumores de desistência do empresário e da preferência do senador Roberto Rocha pelo deputado federal Eduardo Braide (Podemos). Mostrando uma candidatura inviável, Wellington poderia desistir e Rocha ter discurso, além da vontade, para apoiar Braide.

A confirmação da candidatura de Wellington é benéfica não só para o campo de oposição, que pode mostrar que tem mais que 50% na capital maranhense pulverizada em mais de um personagem, mas também para a base comunista, que precisa de um candidato capaz de tirar votos de Eduardo Braide, que continua na lembrança do eleitor e se posiciona bem sem mexer as peças do tabuleiro, ou quase sem mexer, melhor… articulando-se muito bem nos porões da política, com os velhos caciques da política maranhense.

Eduardo Braide (PODEMOS) apareceu com 33,75% das intenções de voto, seguido de Wellington do Curso (PSDB) com 13,54%. O resultado da pesquisa não deixa de ser bom para Rubens Pereira Jr (PCdoB, 2,53%), que mesmo com pontuação baixa, neste momento está mais preocupado com as tratativas de sua coligação do que o desempenho, ele acredita que a força do grupo e da máquina podem beneficiá-lo lá na frente.

Por isso, a queda dos pré-candidatos Duarte Jr (Republicanos, 9,21%) caiu em colocação e Neto Evangelista (DEM, 5,69%) foi interessante para Rubens Pereira Jr, que luta para ser o candidato do governo e do ex-presidente Lula. Outro candidato que foi diminuído de tamanho foi o pré-candidato Dr. Yglésio (PROS). Em muitas consultas até aqui, Yglésio oscilava de 2% a 3% e com as vésperas das convenções, o médico que tem grande potencial de crescimento, começa a ser inviabilizado pelos grupos políticos que entendem que Yglésio pode ser uma surpresa nas eleições, por isso continua isolado com o Pros e tendo como arma somente o diálogo direto com a população, por meio das redes sociais e reuniões pequenas, por conta da covid-19.

Outra surpresa, que pode ter uma leitura política, foi o desempenho de Detinha (PL, 6,75%), que mesmo fazendo diversos ‘comícios’ nesta pré-campanha, com aglomeração, o seu desempenho representa a tentativa de inserir o deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) como uma liderança para discutir as eleições de 2020 e 2020, quando pretende ser candidato a governo do Maranhão, contra os grupos de Weverton Rocha (PDT) e Carlos Brandão (Republicanos).

A pesquisa, que causou controvérsia por conta do seu questionário, foi registrada sob o número MA-04866/2020, ouviu 1.065 pessoas entre 10 e 14 de agosto e o nível de confiança é de 95%. Apesar da denúncia de pré-candidatos e imprensa, o Instituto Emet nega qualquer irregularidade.