Negócios

Diageo, AmBev e Mastercard desistem de ativar patrocínio na Copa América

A Diageo decidiu nesta quinta-feira (10) não ativar o seu patrocínio na Copa América do Brasil. A empresa afirma que a decisão foi tomada por respeito ao momento que o país vive em relação à pandemia de covid-19. As informações são da Folha de S.Paulo.

A Diageo reitera seu compromisso com a sociedade observando os protocolos de segurança e ações institucionais que contribuam para a mitigação da pandemia”, disse a empresa que fabrica bebidas como Smirnoff, Black & White e Johnnie Walker.

A Diageo é a 3ª empresa que desiste de associar sua marca ao evento esportivo. Na 4ª feira (9.jun), a Mastercard e a Ambev (Companhia de Bebidas das Américas) também desistiram de ativar seus patrocínios ao campeonato organizado pela Conmebol.

A não ativação não significa que o contrato de patrocínio está finalizado. Apenas que a empresa achou melhor não ter a sua marca associada à competição.

A Diageo disse ainda que o contrato de patrocínio tinha sido negociado quando a competição estava planejada para ser realizada na Colômbia e na Argentina. O torneio só foi transferido para o Brasil em 31 de maio, depois que a Argentina desistiu de ser sede da Copa América por causa da situação da pandemia no país.

Na 2ª feira (7.jun), a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão recomendou a investigação da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), dos patrocinadores da Copa América e dos Estados e cidades sedes do evento no Brasil por “violações” do “direito à vida e à saúde”.

Se acatada, a ação deverá investigar a “eventual prática de atos comissivos ou omissivos caracterizadores de violação de direitos fundamentais e de direitos humanos internacionalmente assegurados, especialmente os direitos à vida e à saúde, por parte das pessoas físicas e jurídicas organizadoras, transmissoras e patrocinadoras da Copa América […]”.

Entre as empresas patrocinadoras que foram citadas estavam a Mastercard, a Ambev e a Diageo.

Com início marcado para domingo (13), a Copa América reúne 10 seleções de futebol para disputar 28 jogos. A final está agendada para 10 de julho, no Maracanã.

O STF (Supremo Tribunal Federal) formou maioria nesta 5ª feira (10.jun.2021) para liberar a realização do campeonato. As ações movidas pelo PSB e pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos pediam a suspensão do evento. Um terceiro pedido, apresentado pelo PT, também está sendo avaliado pelo STF.

De Poder 360

Justiça

Justiça empossa magistrados no Maranhão

O presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), desembargador Lourival Serejo, deu posse, nessa segunda-feira (7), à Manuella Viana dos Santos Faria Ribeiro como juíza auxiliar, na Comarca da Ilha de São Luís, de entrância final. A juíza foi promovida da 2ª Vara da Comarca de João Lisboa de entrância intermediária, pelo critério de antiguidade. 

A juíza Luzia Madeiro Neponucena tomou posse na Vara Agrária da Comarca da Ilha de São Luís, para a qual foi removida, pelo critério de antiguidade. A magistrada estava como titular da 1ª Vara da Fazenda Pública do Termo Judiciário de São Luís.

Por meio de permuta, a magistrada Débora Jansen Castro Trovão, antes titular no Juizado Especial Criminal de Imperatriz, tomou posse no 1º Juizado Especial Cível da mesma jurisdição. A permuta foi feita com o juiz Paulo Vital Souto Montenegro, que foi empossado como titular do Juizado Especial Criminal de Imperatriz. A posse do juiz foi feita por meio de procuração à juíza Débora Jansen Castro Trovão.

Também por procuração, a juíza Mara Carneiro de Paula Pessoa tomou posse na Comarca de Guimarães, de entrância inicial, para qual foi removida, pelo critério de merecimento. A juíza estava como titular da Vara Única da Comarca de Mirinzal e o termo de posse foi assinado pelo juiz Holídice Cantanhede Barros.

Política

São Luís lança Orçamento Participativo Digital

O Prefeito Eduardo Braide lançou, nesta quinta-feira (10), o Programa Orçamento Participativo Digital. A nova plataforma está à disposição até o dia 31 de julho para que a população de São Luís possa sugerir as prioridades em diversas áreas como saúde, educação, infraestrutura e outras, de acordo com as demandas de bairros e regiões onde residem. A plataforma Orçamento Participativo Digital está disponível no site da Prefeitura.

Com essa iniciativa, a Prefeitura de São Luís coloca à disposição da cidade um importante instrumento democrático da participação popular na definição das ações que serão priorizadas pelo município nos próximos anos, tendo como foco ações voltadas para as áreas da saúde, educação e melhoria da infraestrutura da cidade. 

Ninguém melhor que a população para dizer o que é prioridade para o seu bairro. Por isso, estamos lançando o Orçamento Participativo Digital, fazendo uso da tecnologia neste momento da pandemia, para não deixar os moradores de cada bairro da capital de fora deste processo de escolha. A partir das manifestações dos moradores de todas as regiões da cidade vamos definir, na proposta da Lei Orçamentária Anual, que será encaminhada para a Câmara de São Luís em agosto, como será empregado o orçamento”, declarou o prefeito Eduardo Braide. 

Ao acessar a plataforma, o cidadão vai preencher seus dados e registrar quais as demandas mais urgentes e em que área deseja que sejam executadas pela Prefeitura. Os dados obtidos a partir da consulta serão sistematizados pela Secretaria Municipal de Governança Solidária e Orçamento Participativo (Semgop), responsável pela condução dos trabalhos. A consulta pública ficará aberta até o dia 31 de julho. 

O orçamento participativo é uma forma democrática de participação popular e muito importante para a aplicação correta do dinheiro público. A gestão do prefeito Eduardo Braide está oferecendo mais esse instrumento para que a sociedade possa participar e dizer quais as obras e serviços públicos são prioridades para seus bairros”, disse o secretário Municipal de Governança Solidária e Orçamento Participativo, Pavão Filho, acompanhado de lideranças comunitárias de São Luís, que também participaram do lançamento do Orçamento Participativo Digital.

A plataforma

A plataforma foi pensada para evitar “trotes” e garantir que todas as informações cadastradas correspondam à realidade. Por isso, os dados são obrigatórios para que o cidadão encaminhe sua demanda. Entre as informações necessárias para o cadastro estão os números do CPF e RG do cidadão, bem como o CEP da localidade. 

Na seção de “Sugestões de prioridades de obras e serviços públicos no seu bairro” foram incluídos campos específicos para as áreas de Saúde, Educação e Infraestrutura, por serem as de maior demanda por parte da população. Sugestões das demais áreas podem ser enviadas por meio do campo “Outras áreas”. 

Participaram do lançamento do Orçamento Participativo Digital, o secretário municipal de Governo, Enéas Fernandes; o secretário municipal de Informação e Tecnologia, Diego Rodrigues; e o secretário-adjunto de Comunicação, Igor Almeida.

Política

“Com todo aval de Flávio Dino”, diz Felipe Camarão sobre ida ao PT

Em conversa com A Carta Política, o secretário estadual de educação, Felipe Camarão, quase filiado ao PT, disse que o governador Flávio Dino (PCdoB) teve participação decisiva em sua chegada ao partido do ex-presidente Lula, o Partido dos Trabalhadores.

No início desta semana, segunda-feira (7), o secretário Felipe Camarão levou seu pedido de filiação, em mãos, ao presidente do PT no Maranhão, Augusto Lobato, que é assessor especial do governador Flávio Dino. 

Camarão foi recepcionado pelos petistas e nas palavras do secretário estadual de Direitos Humanos, Chico Gonçalves (PT), todas as alas petistas poderiam não estar presentes [excetuando, o deputado federal Zé Carlos], mas Camarão foi recebido pela maioria das correntes políticas do PT. 

Para Luiz Henrique (PT), que assume mandato na Assembleia Legislativa do Maranhão com a licença do deputado estadual Zé Inácio (PT), é só questão de tempo para a filiação ser concretizada. “Só questões burocráticas do PT”, disse em discurso direcionado para a militância.

Na festa petista, faltou o deputado federal Zé Carlos (PT), que pode ter mandato ameaçado com a presença de Camarão no partido

O clima de festa demonstra a ‘oxigenação’ que Camarão quer dar ao partido e no que Flávio Dino pode estar reservando ao auxiliar do seu governo na área de educação.  “Eu não venho apenas pensando em uma eleição [de deputado federal]. Eu não venho apenas para me colocar à disposição do partido para ser candidato a deputado federal. Eu venho também para ajudar o partido a construir isso [um diálogo] com a sociedade”, disse Felipe Camarão à Carta Política

Participação de Flávio Dino na filiação

Mesmo no PCdoB, o governador Flávio Dino tem interferido, ao longo de seu governo, no Partido dos Trabalhadores. Indagado qual foi a participação do governador para o secretário de Educação migrar do Democratas, do Centrão, para o PT, de esquerda, o neo-petista responde: “Decisiva. Direta. Nós tivemos uma ótima conversa, eu e Flávio, falando sobre conjuntura política estadual e nacional, e dentro da avaliação que Flávio fez comigo ele disse assim: ‘Se eu fosse tu, Felipe, eu me filiaria ao PT’ e me explicou as razões”. 

“Participação decisiva”, diz Camarão sobre Flávio Dino em sua filiação

Para combater a narrativa do deputado federal Zé Carlos (PT), de que Felipe Camarão não tinha afinidade ideológica com o partido, Camarão foi fazendo um paralelo da sua gestão à frente da Educação do Maranhão com os mandatos presidenciais de Lula e Dilma Rousseff (PT). Defendeu FIES, ProUni, SiSu, entre outras iniciativas para justificar sua presença no seio petista. 

O PT é um partido de homens e mulheres honrados, que já muito fizeram pelo nosso estado e pelo nosso país e que pode fazer ainda mais. Eu venho também para somar, para fazer um debate público das políticas públicas já implementadas pelo PT e aquelas que a gente pode fazer no futuro”, disse.

Governo no colo do PT

Felipe Camarão, secretário de educação do Maranhão, defende publicamente que a conjuntura que o PT estará envolvido nas próximas eleições, aqui no Maranhão, passa por Brasília e que Flávio Dino tem trânsito livre nesta articulação com os partidos políticos. 

Declaradamente pré-candidato a deputado federal, Camarão ao escrever a carta de pedido de filiação não cita a condição de congressista, mas se coloca como soldado do partido para qualquer missão. “Eu estou vindo como militante e a pretensão de ser candidato a deputado federal. Mas como todo militante, soldado, estou à disposição para todas as missões que o partido tiver para mim”, reafirmou à Carta Política.

Já no programa Os Analistas, da TV Guará, desta quarta-feira (09), Felipe Camarão descartou, por ora, a candidatura a vice-governador. “Ninguém se coloca como candidato a vice”, falou Camarão. Esta, inclusive, é uma frase dita e repetida por Flávio Dino aos seus auxiliares. Chamou atenção, porém, que apesar da cordialidade do auxiliar do governador com o senador Weverton Rocha (PDT) e o vice-governador Carlos Brandão (PSDB), Camarão defendeu candidatura única que saia do “grupo dinista”, do qual se colocou integrante. O site A Carta Política escreveu, em maio, “Nem Brandão, Nem Weverton. O grande problema de Flávio Dino após reunião anunciada”

Para a bancada de Os Analistas, Camarão disse que apesar da boa articulação política de Brandão e Weverton, a candidatura de nenhum dos dois chegou até a ponta, ao eleitor. Lembrou que as candidaturas têm que dialogar com o cidadão e que, sem isso, nem Bolsonaro, nem Flávio Dino teriam sido eleitos. “Na primeira eleição, Flávio Dino tinha apoio de três prefeitos”, disse ao citar pesquisas qualitativas e quantitativas que teve acesso que coloca os principais candidatos em certa desvantagem. 

Para criar um inimigo, Camarão disse que no Maranhão pode surgir um forte candidato bolsonarista e alinhado com o segmento evangélico. Citou na resenha televisiva, que o ex-prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (sem partido), pode ser este candidato e tem a seu favor a popularidade e a boa avaliação no fim do mandato. Edivaldo tem sido sondado pelo PTB, da deputada estadual Mical Damasceno e pelo PSD, do deputado federal Edilázio Júnior. Os dois dialogam com o governo Bolsonaro.

Notas rápidas

Secretário de saúde do MA irá depor na CPI da Covid, no Senado

Carlos Lula, secretário de Estado da Saúde do Maranhão, confirmou que irá prestar depoimento à CPI da Pandemia, no Senado Federal, como convidado.

A presença de Lula é como presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). O requerimento não pediu a presença expressa de Carlos Lula, mas de um representante do Conselho.

“O Conass foi convidado a dar sua contribuição na CPI da Pandemia. Como presidente, estarei na Comissão para esclarecer o que for necessário. Temos muito a falar sobre esses 15 meses de enfrentamento”, disse Carlos Lula, no Twitter.