Mês: janeiro 2021

Política

Covid-19: Carlos Lula está proibido de querer agradar alguém

No mesmo dia, o secretário estadual do Maranhão, Carlos Lula, proibiu e des-proibiu a realização de eventos com até 150 pessoas, que consistem em celebrações de casamentos, aniversários e batizados. A justificativa para a não realização dos eventos foi de adotar medidas para conter a proliferação do novo coronavírus.

Horas depois, o mesmo Carlos Lula suspendeu a medida anunciada pela manhã desta segunda-feira (25), sob o argumento, agora, de que “Diante das manifestações do segmento de eventos, resolvemos, por ora, não adotar a medida de suspensão de pequenos eventos que se iniciaria amanhã, 26/01/21”, disse Carlos Lula na noite desta segunda-feira ao dizer que vai dialogar com os envolvidos e o Ministério Público para deliberar o assunto.

Nas redes sociais, surgiram críticas ao recuo de Carlos Lula.  “O senhor se esqueceu que o que está em jogo no momento são vidas? Veja bem o que aconteceu em Manaus e me diga se é isso que o senhor quer pro nosso estado.”, disse uma seguidora. “Secretário, qual a diferença desses protestos para os dos comerciantes de Manaus?  A tragédia lá está acontecendo em tempo real, não é  história que alguém contou sobre um passado remoto. São Luís vai pagar p ver?”, recriminou outra seguidora. “Rondônia, Amazonas e Interior do Pará estão passando muita dificuldade na segunda onda da pandemia. É uma sinalização ruim para a sociedade. Empregos e dinheiro recuperamos, vidas não”, lembrou outro seguidor.

A reconsideração da medida – acertada – de coibir aglomerações levanta os questionamentos de que as decisões do governo estão sendo tomadas por impulso, viés político, sem consulta com os envolvidos e sem levar em conta a Ciência? O secretário Carlos Lula está proibido de querer agradar alguém e seguir com as medidas necessárias para o combate à covid-19.

Política

Covid-19: Novas vacinas serão destinadas a aplicação integral, sem reserva para 2ª dose

O Maranhão recebeu neste domingo (24), 48.500 doses de vacina AstraZeneca (Oxford). O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), informou que as doses devem ser aplicadas em sua integralidade, ou seja, mais de 48 mil pessoas serão imunizadas em uma primeira dose.

Com isso, não haverá reserva deste logo para uma segunda dose. “No caso das 48.500 doses de vacina AstraZeneca recebidas hoje, elas serão destinadas à aplicação integralmente, sem reserva para 2ª dose. Isso porque o intervalo de tempo entre as doses é maior do que a CoronaVac, permitindo o recebimento de lote específico para a 2ª dose”, disse no Twitter.

O secretário estadual de saúde, Carlos Lula, informou que ampliou o grupo prioritário nesta fase. “A atualização é que municípios também poderão vacinar pacientes dialíticos e oncológicos que estejam em tratamento de rádio e quimio.”, disse Carlos Lula.

Negócios

Edilson Baldez garante reeleição e ficará 16 anos à frente da Fiema

O presidente da Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema), garantiu mais quatro anos à frente da Federação.

A eleição aconteceu nesta sexta-feira, 22 de janeiro.

Prestes a completar 12 anos como presidente da Fiema, com mais uma reeleição, Baldez garante o mandato até junho de 2025.

O presidente Edilson Baldez das Neves e o primeiro vice-presidente, Francisco Sales de Alencar, que representa a região tocantina, foram mantidos no cargo.

Política

Covid-19: Caxias já imunizou mais que São Luís

O município de Caxias já imunizou mais que a capital maranhense, São Luís. Segundo os dados crus da Secretaria Estadual de Saúde, São Luís já recebeu 18.266 doses da vacina e imunizou 986 pessoas. Já Caxias, recebeu 2.466 doses e imunizou 1.919 pessoas.

Chama atenção, porém, que o número de imunizados em Caxias é maior que a metade de doses disponibilizadas, ou seja, não está havendo reserva para a segunda dose de quem recebeu a vacina nesta primeira etapa.

Enquanto em São Luís, o processo parece mais lento do que o aceitável.