Política

Covid-19: Carlos Lula está proibido de querer agradar alguém

No mesmo dia, o secretário estadual do Maranhão, Carlos Lula, proibiu e des-proibiu a realização de eventos com até 150 pessoas, que consistem em celebrações de casamentos, aniversários e batizados. A justificativa para a não realização dos eventos foi de adotar medidas para conter a proliferação do novo coronavírus.

Horas depois, o mesmo Carlos Lula suspendeu a medida anunciada pela manhã desta segunda-feira (25), sob o argumento, agora, de que “Diante das manifestações do segmento de eventos, resolvemos, por ora, não adotar a medida de suspensão de pequenos eventos que se iniciaria amanhã, 26/01/21”, disse Carlos Lula na noite desta segunda-feira ao dizer que vai dialogar com os envolvidos e o Ministério Público para deliberar o assunto.

Nas redes sociais, surgiram críticas ao recuo de Carlos Lula.  “O senhor se esqueceu que o que está em jogo no momento são vidas? Veja bem o que aconteceu em Manaus e me diga se é isso que o senhor quer pro nosso estado.”, disse uma seguidora. “Secretário, qual a diferença desses protestos para os dos comerciantes de Manaus?  A tragédia lá está acontecendo em tempo real, não é  história que alguém contou sobre um passado remoto. São Luís vai pagar p ver?”, recriminou outra seguidora. “Rondônia, Amazonas e Interior do Pará estão passando muita dificuldade na segunda onda da pandemia. É uma sinalização ruim para a sociedade. Empregos e dinheiro recuperamos, vidas não”, lembrou outro seguidor.

A reconsideração da medida – acertada – de coibir aglomerações levanta os questionamentos de que as decisões do governo estão sendo tomadas por impulso, viés político, sem consulta com os envolvidos e sem levar em conta a Ciência? O secretário Carlos Lula está proibido de querer agradar alguém e seguir com as medidas necessárias para o combate à covid-19.