Foi Eduardo Braide (Podemos) que criou o “Consórcio” que ele diz ser do governador Flávio Dino (PCdoB). Na verdade, Eduardo Braide criou um monstro, um inimigo a ser batido. O líder nas pesquisas segue jogando o jogo de uma certa forma… parado.

A vantagem que adquiriu na eleição passada ele tenta colher os frutos quatro anos depois sem mover uma palha e nem discutir a cidade com os demais concorrentes, os pré-candidatos colocados até aqui. Em entrevista à Rádio Nova FM, nesta quinta-feira (23), Eduardo Braide propôs uma gincana com Flávio Dino se for eleito prefeito. Explico mais à frente.

Ao invés do candidato do Podemos debater com seus adversários, prefere fazer um embate direto com Flávio Dino e se tornar uma oposição estadual do governador que completa 6 anos de governo sem nenhuma oposição que possa tirar seu sono.

O próprio ex-presidente José Sarney (MDB), monstro criado por Flávio Dino, hoje é aliado do comunista para derrotar o avanço do bolsonarismo no Brasil.

Essa fixação de Braide por Flávio Dino explica mais que o desafio de se sentar na principal cadeira do Palácio La Ravardière. Eduardo quer na verdade, a partir de 2023, morar no Palácio dos Leões, depois de governar por um ano e meio a capital maranhense.

Isso explica o grupo político que Eduardo Braide está inserido hoje. Tem de órfãos da Era Sarney à arrependidos do início do governo Flávio Dino. O próprio Braide é um desses arrependidos, na eleição passada chegou a dizer que tinha o apoio de Flávio Dino e que foi seu líder de governo na Assembleia Legislativa.

São eles: o ex-governador Zé Reinaldo; o ex-presidente da Assembleia Legislativa, Carlos Braide; o senador Roberto Rocha; Waldir Maranhão; Edilázio Júnior; o ex-secretário de Segurança e hoje deputado federal, Aluísio Mendes; o ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad; entre outros que submergem nos bastidores da campanha de Braide.

Gincana

Para potencializar a disputa com Flávio Dino, Eduardo Braide propôs uma disputa para saber quem faz mais por São Luís nos próximos anos. “Ele fará aqui e eu farei acolá e a população vai vibrar com tanta obra a seu favor”, disse Braide em entrevista aos jornalistas Diego Emir e Oswaldo Maya, na Nova FM.

O problema é que Braide não diz que obras são essas. Talvez seja as que Edivaldo Holanda Jr (PDT) tem iniciado com o programa São Luís em Obras.  Se Braide estiver contando com isso para ganhar a gincana eleitoreira, ele já perdeu.

Vices desaprovados

Não faltam exemplos recentes de vices que foram desaprovados pela população. Sem ir longe, em Paço do Lumiar a prefeita Paula Azevedo (PCdoB) corre o risco de não se reeleger. Quem foi eleito foi Domingos Dutra (PCdoB) e foi afastado por motivos de saúde. Em São José de Ribamar, o prefeito Eudes Sampaio (PTB) pode nem ser candidato. Na cidade balneária a população escolheu Luis Fernando (PSDB) para comandar o município. Mas pela segunda vez ele pediu pra sair. Nacionalmente, com o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, o então presidente Michel Temer (MDB) viu que lançar candidatura ia só desgastar ainda mais sua popularidade. A população também o rejeitou.

Na mesma entrevista, Braide prometeu revelar nos próximos dias o seu vice-prefeito. Fiquem de olho nesse nome.