Tag: Eleições 2020

Coronavírus, Eleições 2020, Política

Prefeito de São Luís é contra prolongar mandato por conta do COVID-19

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (25), o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior (PDT), foi contrário a proposta de congressistas de adiar as eleições e prolongar o mandato de prefeitos e vereadores.

“É algo que não tem como se pensar nesse momento, porque o nosso foco é a saúde. Nosso foco é o que está acontecendo no mundo. Não ajuda em nada a população trazer uma discussão como essa para o momento que o país vive”, declarou.

A Carta Política, publicou em editorial no dia 24 de março, que “Ainda é cedo para falar em cancelar eleição”, para pensamos que temos que pensar na saúde e na economia neste momento.

“O risco maior é com a saúde do povo brasileiro. As eleições não estão em risco. Se não acontecer na data marcada, elas ainda vão acontecer. Se não cuidarmos da saúde das pessoas, essas não têm volta. Repito. Os esforços agora devem ser unicamente para encontrar soluções para esta crise sanitária. Um país que está sem presidente, pode ficar outubro sem eleição, mas a preocupação eleitoreira é inoportuna. O SUS merece mais preocupação.”, falamos no editorial.

Editorial

Ainda é cedo para falar em cancelar eleição

Toda crise há uma oportunidade. Parece que assim estão agindo os congressistas: como oportunistas. Já falam em adiar, ou mesmo, cancelar as eleições de 2020 – jogando o pleito, defendem alguns, para 2022. O senador maranhense Weverton Rocha (PDT) chegou a cogitar unificar as eleições (municipais e gerais), mas antes de protocolar uma PEC, foi demovido da ideia ao falar com consultores do senado e de juristas do Supremo Tribunal Federal.

A verdade é que tem muita gente, pelo Brasil, de olho na oportunidade de alterar a data da eleição municipal. Ainda é cedo para falar em cancelar eleição. Todas as atenções, neste momento, estão voltadas para encontrar soluções para a crise sanitária que invadiu o Brasil. O novo coronavírus deve ser pauta exclusiva das decisões do congresso. A economia, a maior afetada depois da saúde pública, deve também merecer todas as atenções.

Estatísticos do Ministério da Saúde acreditam que os números começam a cair somente em setembro, já avizinhando a eleição de outubro. O Ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) deu essa informação nesta sexta-feira (20). Com a eleição marcada para começar no dia 16 de agosto, a informação do ministro gerou preocupação quanto ao calendário eleitoral até agosto.

A lei eleitoral determina como prazo a escolha dos candidatos de 20 de julho até 05 de agosto. Dirigentes acreditam que o avanço do COVID-19 pode atrapalhar todo o planejamento partidário, como a realização de convenções, por conta da proibição de eventos por conta da aglomeração de pessoas.

A saída, pode ser, a virtualização da agenda eleitoral. O próprio Supremo tem feito julgamentos no ambiente virtual. Casamentos estão sendo realizados por vídeo-chamada e o Senado Federal já começou suas votações por uma plataforma de videoconferência, também. A Câmara Municipal e a Assembleia Legislativa do Maranhão também devem realizar sessões pela Internet.

O risco maior é com a saúde do povo brasileiro. As eleições não estão em risco. Se não acontecer na data marcada, elas ainda vão acontecer. Se não cuidarmos da saúde das pessoas, essas não têm volta. Repito. Os esforços agora devem ser unicamente para encontrar soluções para esta crise sanitária. Um país que está sem presidente, pode ficar outubro sem eleição, mas a preocupação eleitoreira é inoportuna.

O SUS merece mais preocupação.

Eleições 2020, Política

PROS aprova filiação do pré-candidato Dr. Yglésio

O PROS do Maranhão aprovou a filiação do deputado estadual Dr. Yglésio, pré-candidato a prefeito de São Luís. A informação, em forma de boas-vindas, foi dada nesta sexta-feira (13), nas redes sociais do partido.

“É com alegria que o PROS/MA recebe o seu mais novo filiado.
Seja bem-vindo Dr. Yglésio, nosso pré-candidato à prefeitura de São Luís!”, destacou o partido.

O deputado agradeceu o partido. “Feliz por fazer parte deste grande partido, liderado pelo nosso amigo, Gastão Vieira! Vamos juntos, rumo vitória!”, agradeceu o deputado nas redes sociais.

O anuncio de que Yglésio seria o pré-candidato do PROS foi dado a quase um mês. A apresentação do Dr. Yglésio para a militância do partido e aliados deve ser ainda este mês em um evento para fazer o ato público de filiação.

Política

Agora é a vez dos comunistas: PCdoB firme na disputa pela prefeitura de São Luís

O Partido Comunista do Brasil não abre mão de disputar a sucessão municipal em 2020 em São Luís. Hoje, o PCdoB ocupa a cadeira de vice-prefeito o que na prática pode não significar muita coisa.

O partido do governador Flávio Dino foi essencial para as duas vitórias de Edivaldo Holanda Jr (PDT). Saindo de duas eleições – em 2008 e 2010 – o PCdoB decidiu não lançar candidato para as eleições municipais de 2012. Flávio Dino vinha de duas eleições.

Em 2008, foi para o segundo turno com João Castelo (PSDB) na briga pela prefeitura de São Luís e em 2014 o PCdoB ficou em segundo lugar na campanha para o governo do estado.

Dirigentes comunistas sempre fazem questão de relembrar o histórico das três passagens do PCdoB na eleição de São Luís, em 2008, 2012 e 2016. Os comunistas acrescentam ainda à história que agora é a vez do PCdoB ter um membro na capital maranhense.

Em 2022, PCdoB não terá candidato ao governo

É importante também lembrar que em 2022, o PCdoB não terá candidato na cabeça de chapa ao governo do Maranhão.

Com o “movimento Lula livre” e o ex-presidente Luiz Inácio livre para carregar uma candidatura debaixo dos braços, a pretensão de Flávio Dino de viabilizar uma candidatura à presidente ou vice-presidente pode ser adiada.

No Maranhão, o PCdoB (depois de dois mandatos governando o estado) deve no máximo ter uma vice-governadoria ou ter um candidato ao senado, que pode ser o próprio Flávio Dino (PCdoB) ou o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB).

Já o senador Weverton (PDT) e o vice-governador Carlos Brandão (PRB) não devem trocar de legendas e são virtualmente os candidatos mais competitivos para suceder o governador Flávio Dino.

Por isso, o protagonismo do PCdoB nas eleições de São Luís será estratégico para manter os comunistas no jogo político maranhense.