Tag: Coronavírus

Coronavírus

Yglésio protocola que IPVA seja cobrado só em outubro

Devido as dificuldades econômico-financeiras ocasionadas pela pandemia da COVID-19 (novo coronavírus), o deputado estadual Dr. Yglésio (PROS) protocolou para que o Governo do Maranhão e a Secretaria da Fazenda do Estado do Maranhão, suspendam a obrigatoriedade de pagamento do IPVA.

A sugestão do parlamentar é que o tributo só seja cobrado pelo órgão fazendário a partir de outubro, quando se espera uma recuperação econômica.

“A chegada do novo coronavírus ao Maranhão trouxe também problemas econômico-financeiros para diversas famílias, principalmente para comerciantes, trabalhadores autônomos e os micros e pequenos empreendedores. Inevitavelmente o dinheiro parou de chegar ao bolso do trabalhador, atrapalhando todo o planejamento financeiro das famílias que dependem do seu negócio para se sustentarem.”, justificou o parlamentar.

Deputado Dr. Yglésio durante entrevista na Rádio Nova FM (Foto: Raillen Martins)

Yglésio disse que a ideia é que o governador adie o pagamento do IPVA dos veículos no Maranhão para o mês de outubro. “Dando fôlego para as famílias e uma preocupação a menos, em meio às tantas.”, disse.

O parlamentar tem trabalhado propondo soluções e informando a população. No endereço www.dryglesio.com.br/coronavirus reuniu todo o conteúdo informativo e de prevenção ao novo coronavírus.

Outras medidas

O deputado Dr. Yglésio já havia protocolado outras medidas para estabelecer o equilíbrio econômico-financeiro das famílias. Propôs a majoração do adicional de insalubridade dos profissionais vinculados ao SUS em 40% por 60 dias (prorrogável por mais 30 dias) em virtude do COVID-19.

Protocolou indicação ao Governo do Maranhão e à Secretaria Estadual de Fazenda para minoração de alíquota do ICMS para micro e pequenos empreendedores enquanto durem os efeitos da pandemia.

Coronavírus, Saúde

TV mostra desorganização de fila no Centro de Testagem

A TV Mirante mostrou na edição desta terça-feira (24), do Bom Dia Mirante, a falta de organização no Centro de Testagem instalado na Policlínica do Diamante. O jornal matutino mostrou pacientes organizando a própria fila.

“O vídeo mostra várias pessoas, que vão chegando e vão ficando amontoadas na porta. Esses pacientes reclamam que não há uma organização para entrar. Então, os próprios pacientes que pegam um papel e uma caneta e fazem uma lista de quem chegou primeiro, de quem chegou depois. E isso vai deixando uma certa insatisfação”, disse o jornalista Douglas Pinto na passagem ao vivo.

Com os primeiros casos confirmados – agora já são 8 casos positivos do novo coronavírus –  será natural que novas pessoas procurem o Centro de Testagem para saber se tem ou não o novo coronavírus.

É necessário que a Secretaria de Estado da Saúde esteja pronta para o aumento da demanda, principalmente, na organização da fila, sem que as pessoas fiquem aglomeradas.

Coronavírus

MA: Pessoas que tiveram contato com infectados serão monitorados

Os dois casos confirmados de infecção por Covid-19 seguem em isolamento domiciliar e apresentam bom quadro de saúde. Estas pessoas estão sendo monitoradas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS).

Os contactastes próximos também já foram identificados e contatados pelo CIEVS. Todos relatam bom quadro de saúde, sem sintomas gripais. O CIEVS continuará com o monitoramento destas pessoas, que foram orientadas a manter o isolamento domiciliar e relatar imediatamente caso haja mudança de quadro clínico.

Àqueles que tiveram contato direto por horas ou dias com os casos confirmados, já iniciaram o protocolo de coleta de exames no Centro de Testagem.

O primeiro caso confirmado do Maranhão apresentou sintomas após retorno de viagem à São Paulo e o segundo teve alteração de quadro após contato com pessoa que esteve na Europa. Tanto o viajante do voo doméstico quanto o internacional entraram, em São Luís, por meio do aeroporto Hugo da Cunha Machado, cuja administração é do Governo Federal.

Monitoramento

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) comunica que, desde o início do monitoramento, notificou 418 casos de possível infecção por COVID-19. Destes, 136 foram descartados, 280 casos suspeitos são acompanhados por equipes do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS).

Até o momento, 2 (dois) casos confirmados por diagnóstico laboratorial. Quando analisados os casos notificados de COVID-19, a razão de sexos aponta 250 (59,8%) casos em mulheres e 168 (40,2%), casos em homens. O Centro de Testagem do Maranhão, localizado na Policlínica Diamante, está recebendo casos suspeitos de Covid-19 para a coleta de material para a realização dos exames laboratoriais e orientações sobre as medidas que devem ser tomadas até o resultado do exame.

O Centro de Testagem funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 18h. A partir desta segunda (23), o Viva Beira-Mar ganhará um Centro de Testagem para ampliar a capacidade de atendimentos aos possíveis casos suspeitos, seguindo critérios do Ministério da Saúde.

Editorial

Ainda é cedo para falar em cancelar eleição

Toda crise há uma oportunidade. Parece que assim estão agindo os congressistas: como oportunistas. Já falam em adiar, ou mesmo, cancelar as eleições de 2020 – jogando o pleito, defendem alguns, para 2022. O senador maranhense Weverton Rocha (PDT) chegou a cogitar unificar as eleições (municipais e gerais), mas antes de protocolar uma PEC, foi demovido da ideia ao falar com consultores do senado e de juristas do Supremo Tribunal Federal.

A verdade é que tem muita gente, pelo Brasil, de olho na oportunidade de alterar a data da eleição municipal. Ainda é cedo para falar em cancelar eleição. Todas as atenções, neste momento, estão voltadas para encontrar soluções para a crise sanitária que invadiu o Brasil. O novo coronavírus deve ser pauta exclusiva das decisões do congresso. A economia, a maior afetada depois da saúde pública, deve também merecer todas as atenções.

Estatísticos do Ministério da Saúde acreditam que os números começam a cair somente em setembro, já avizinhando a eleição de outubro. O Ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) deu essa informação nesta sexta-feira (20). Com a eleição marcada para começar no dia 16 de agosto, a informação do ministro gerou preocupação quanto ao calendário eleitoral até agosto.

A lei eleitoral determina como prazo a escolha dos candidatos de 20 de julho até 05 de agosto. Dirigentes acreditam que o avanço do COVID-19 pode atrapalhar todo o planejamento partidário, como a realização de convenções, por conta da proibição de eventos por conta da aglomeração de pessoas.

A saída, pode ser, a virtualização da agenda eleitoral. O próprio Supremo tem feito julgamentos no ambiente virtual. Casamentos estão sendo realizados por vídeo-chamada e o Senado Federal já começou suas votações por uma plataforma de videoconferência, também. A Câmara Municipal e a Assembleia Legislativa do Maranhão também devem realizar sessões pela Internet.

O risco maior é com a saúde do povo brasileiro. As eleições não estão em risco. Se não acontecer na data marcada, elas ainda vão acontecer. Se não cuidarmos da saúde das pessoas, essas não têm volta. Repito. Os esforços agora devem ser unicamente para encontrar soluções para esta crise sanitária. Um país que está sem presidente, pode ficar outubro sem eleição, mas a preocupação eleitoreira é inoportuna.

O SUS merece mais preocupação.