Política

Política

Senador quer incluir 44 municípios do Maranhão no semiárido

Pouca chuva e secas mais frequentes. Esta é a realidade de vários munícipios da região Nordeste. O mapa do semiárido, a região de clima mais seco do Brasil, engloba 1.262 cidades. No Maranhão, atualmente são 6. Um Projeto de Lei (PL) do senador Weverton (PDT-MA) prevê o aumento desse número. O PL 2492/2019 inclui na área considerada como semiárido 44 municípios maranhenses.

PL do senador Weverton inclui 44 municípios maranhenses no semiárido

“A inserção de outros municípios do Maranhão na região do semiárido, sem dúvida, contribuirá para corrigir um equívoco histórico que excluiu durante anos as cidades de políticas públicas voltadas para a região como, por exemplo, as de combate à desertificação, recuperação de áreas degradadas, convivência com a seca e geração de emprego e renda, entre outras políticas de inclusão social e econômica. O que deixou desassistido dessas políticas um contingente populacional de 1,3 milhão de pessoas”, explicou o senador.

A Constituição assegura ao semiárido nordestino a metade dos recursos aplicados em programas de financiamento ao setor produtivo destinados à região. Esse diferencial tem motivado os municípios a pleitearem a sua inclusão.

Para o senador, a inclusão na região semiárida desses 44 municípios é fundamental para que as cidades tenham acesso a recursos e programas específicos de convivência com a seca.

“Tenho certeza de que com tal ação melhoraremos os indicadores sociais e econômicos dos maranhenses moradores dessa área. Este projeto vai corrigir injustiças com a população da região que, além de ser castigada por grave escassez hídrica, não tem acesso aos recursos transferidos pela União”, ressaltou.

O texto está na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) do Senado aguardando a designação de relator.

Conheça os municípios incluídos no semiárido pelo projeto

Afonso Cunha, Agua Doce Maranhão, Adeias Altas, Anapurus, Barão do Guajarú, Barreirinhas, Belágua, Benedito Leite, Brejo, Buriti, Buriti Bravo, Caxias, Chapadinha, Codó, Coelho Neto, Colinas, Duque Bacelar, Humberto de Campos, Lagoa do Mato, Loreto, Magalhães Almeida, Mata Roma, Matões, Milagre do MA, Morros, Nina Rodrigues, Paraibano, Parnarama, Passagem França, Paulino Neves, Primeira Cruz, Santa Quitéria do MA, Santana do MA, Santa Amaro do MA, São Benedito Rio Preto, São Bernardo, São Francisco do MA, São João do Sóter, São João dos Patos, Sucupira do Riachão, Timbiras, Tutóia, Urbano Santos, Vargem Grande.

Política

Deputados saem em defesa do presidente da Comissão de Obras da Assembleia

Chamou atenção os comentários dos deputados Othelino Neto (PCdoB) e Rafael Leitoa (PDT) na rede social do deputado estadual Felipe dos Pneus (PRTB).

O presidente da Assembleia e o líder do governo parabenizam desempenho de Felipe dos Pneus

O presidente da Comissão de Obras da Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado Felipe dos Pneus (PRTB), tem sofrido críticas da oposição pela condução das fiscalizações realizadas. Para o deputado César Pires (PV), Felipe não tem a mesma dedicação para cobrar resultados do Governo Estadual do jeito que tem cobrado do DNIT, órgão do Governo Federal.
Felipe também sofreu saraivadas da imprensa pela inversão de papel. Ao invés do secretário Clayton Noleto ir até a Assembleia prestar explicações, Felipe foi até Noleto ouvi-lo.

Vale ressaltar que nos primeiros meses de mandato, Felipe tem se esforçado para fazer um mandato participativo, na ansiedade de fazer um bom trabalho, classificou seu mandato de “nova política”, mas no meio do caminho a mesma ansiedade pode o ter atrapalhado em algumas decisões políticas.

Política

Fábio Macedo foi fiscalizar gás natural na usina de carvão mineral

O presidente da Comissão de Assuntos Econômicos da Assembleia Legislativa, Fábio Macedo (PDT), fez os membros da Comissão a passar vergonha nesta quinta-feira (06) na unidade da Eneva, no Itaqui Bacanga, em São Luís

Macedo esteve acompanhado dos deputados Leonardo Sá (PR), Wendel Lages(PMN), Zito Rolim (PDT), Ciro Neto (PP) e Antônio Pereira (DEM). A ideia da visita era uma fiscalização surpresa junto com o Inmeq-MA.

No intuito de implementar gás natural veicular no Maranhão, Macedo foi com sede ao pote “fiscalizar a produção de gás natural” em São Luís. Acontece, que a Eneva não produz gás natural em São Luís, na capital a produção da Eneva é de carvão mineral. A usina é responsável pela geração de energia de 60% da capital. Por esse motivo, a visita tem que adotar procedimentos de segurança.

Como a Eneva não foi avisada com antecedência sobre a visita dos deputados, houve um atraso para liberar a entrada dos parlamentares e do Inmeq-MA.

O blog manteve contato com a empresa que informou “que as operações técnicas de produção de energia a carvão demandam logística especializada para manter a segurança do sistema energético de São Luís e dos seus colaboradores em todos os setores, que trabalham sob regras operacionais de segurança.

A Eneva informou ainda que mantém um bom relacionamento institucional com a Assembleia Legislativa e que realizou os procedimentos de segurança para liberar a visita mas que “foi impossibilitada após negativa do parlamentar em aguardar a finalização destes protocolos”

A empresa informou que recebeu a Comissão há duas semanas no Complexo do Parnaíba e esteve na Assembleia Legislativa no último dia 22 de maio.