Autor: Pedro de Almeida

Política

Morre ex-prefeito de Teresina, Firmino Filho

O corpo do ex-prefeito de Teresina, Firmino Filho, foi encontrado na tarde desta terça-feira (6) na porta de um prédio na Zona Leste de Teresina. O último mandato de Firmino Filho a frente da Prefeitura de Teresina terminou em 2020.

Segundo a assessoria de Firmino, ele teria caído do prédio. A informação ainda não foi confirmada pela polícia, que investiga se a causa foi suicídio. O corpo de Firmino foi encontrado no prédio onde funciona o Tribunal de Contas da União (TCU), onde o ex-prefeito era servidor de carreira.

Firmino da Silveira Soares Filho tinha 58 anos, era economista, político filiado ao PSDB e professor universitário. Ele foi quatro vezes prefeito de Teresina. Foi eleito, pela primeira vez em 1996, com 33 anos, reeleito em 2000 e voltou a vencer a disputa municipal em 2012 e reeleito novamente em 2016.

O político também foi deputado estadual e vereador de Teresina.

G1

Negócios

Barragem da MASA, em Godofredo Viana, é interditada no Maranhão

Na última semana, a Agência Nacional de Mineração interditou quatro barragens por falta de instabilidade em sua operação. A da Lagoa do Pirocaua, em Godofredo Viana (MA), está na lista das interditadas da ANM. As outras foram em Labourrie, no município de Calçoene (AP), Bacia 07 Alto da Serra, em Corumbá (MS) e Barragem do Serginho, no município de Nossa Senhora do Livramento (MT).

Há duas semanas a Mineradora Aurizona (MASA), do grupo canadense Equinox Gold, disse que não houve qualquer abalo em suas estabilidade. “Não houve qualquer impacto sobre a sua estrutura operacional como barragens e outras instalações, que estão intactas e operando normalmente. Ou seja, não houve qualquer alteração na segurança e estabilidade das estruturas operacionais, principalmente na barragem de rejeitos.”, disse a Mineradora Aurizona.

Opinião

Rede Assaí dá banho em controle da covid-19 em cima do Grupo Mateus

A Rede Assaí que chegou em São Luís aglomerando em suas inaugurações parece que aprendeu com os erros. À época, A CARTA POLÍTICA mostrou que uma inauguração no primeiro momento crítico da pandemia não fazia sentido.

Nesta segunda onda, o Grupo Mateus criou coragem para desrespeitar os decretos. O deputado estadual Yglésio Moyses, que tem sido coerente em suas cobranças no combate ao covid-19, comparou a Rede Assaí e o Grupo Mateus.

O Mateus liberou geral, enquanto a Rede Assaí é o exemplo que Ilson Mateus deve seguir.

Uma coisa tem que ser dita: Grupo Mateus só tem feito o que tem feito, porque a fiscalização tem deixado. No Ceará, por exemplo, Ilson Mateus não teve as mesmas regalias do Maranhão. Veja vídeo.

Cidade

Obras de acessibilidade avançam no Centro Histórico de São Luís

 A Prefeitura de São Luís segue avançando com as adequações estruturais necessárias para reurbanizar e tornar mais acessível o Centro Histórico da capital. Por meio da Secretaria Municipal de Inovação, Sustentabilidade e Projeto Especiais (Semispe) e da Fundação Municipal do Patrimônio Histórico (Fumph), está sendo executada a recuperação de vias e calçadas consideradas essenciais para o acesso da população e turistas aos principais pontos do conjunto tombado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). 

Ainda na primeira fase do Programa de Revitalização do Centro Histórico de São Luís, em pouco mais de um mês do início das atividades, os operários estão trabalhando no limite do estacionamento da Praia Grande e, também, na Travessa Boa Ventura, de onde foi retirada a camada de asfalto existente, que será substituída por paralelepípedo. Além disso, no local também será realizado o alargamento das calçadas e o consequente estreitamento da rua. 

O trabalho também acontece nas ruas da Estrela e Portugal e Ladeira do Comércio, localizada atrás do Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, onde está sendo feita a troca do piso da calçada que, para a segurança completa do pedestre, vai se somar às passagens elevadas, que estão sendo construídas em todos os pontos, dentro do trecho viário. 

Todo o trabalho está sendo feito de forma a melhorar a acessibilidade e mobilidade do Centro Histórico. “As obras de melhoria em acessibilidade no Centro Histórico de São Luís têm como objetivo garantir a todos o direito de se locomover com autonomia. Ao mesmo tempo em que estamos focados em entregar soluções e serviços que melhorem a acessibilidade e a mobilidade, também estamos atentos à preservação do patrimônio histórico. Nosso compromisso é entregar uma cidade melhor para a população, conforme determinação do prefeito Eduardo Braide”, destacou a titular da Semispe, Verônica P. Pires. 

De acordo com Tatyana Medeiros, coordenadora geral do Programa de Revitalização do Centro Histórico de São Luís, “a obra permitirá que a área seja frequentada por todos, independente das suas limitações, refletindo um processo de inclusão social, fomento do turismo e das relações sociais. As ações fazem parte do Programa de Revitalização do Centro Histórico de São Luís, financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)”. 

Acessibilidade

A obra que está sendo executada por meio da Semispe e Fumph no Centro Histórico de São Luís visa levar a acessibilidade universal à região de tombamento patrimonial histórico da área de tombamento federal e considerada patrimônio cultural da humanidade pela Unesco e limite de atuação do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Governo Federal.

O projeto contempla a implantação de rotas acessíveis com a construção de rampas, travessias elevadas de pedestres, reparos e alargamento de passeios, implantação de mobiliário urbano (bancos, lixeiras, bicicletários), reformas de banheiros para torná-los acessíveis, sinalização vertical e horizontal e paisagismo.