Autor: Pedro de Almeida

Política

Agora é a vez dos comunistas: PCdoB firme na disputa pela prefeitura de São Luís

O Partido Comunista do Brasil não abre mão de disputar a sucessão municipal em 2020 em São Luís. Hoje, o PCdoB ocupa a cadeira de vice-prefeito o que na prática pode não significar muita coisa.

O partido do governador Flávio Dino foi essencial para as duas vitórias de Edivaldo Holanda Jr (PDT). Saindo de duas eleições – em 2008 e 2010 – o PCdoB decidiu não lançar candidato para as eleições municipais de 2012. Flávio Dino vinha de duas eleições.

Em 2008, foi para o segundo turno com João Castelo (PSDB) na briga pela prefeitura de São Luís e em 2014 o PCdoB ficou em segundo lugar na campanha para o governo do estado.

Dirigentes comunistas sempre fazem questão de relembrar o histórico das três passagens do PCdoB na eleição de São Luís, em 2008, 2012 e 2016. Os comunistas acrescentam ainda à história que agora é a vez do PCdoB ter um membro na capital maranhense.

Em 2022, PCdoB não terá candidato ao governo

É importante também lembrar que em 2022, o PCdoB não terá candidato na cabeça de chapa ao governo do Maranhão.

Com o “movimento Lula livre” e o ex-presidente Luiz Inácio livre para carregar uma candidatura debaixo dos braços, a pretensão de Flávio Dino de viabilizar uma candidatura à presidente ou vice-presidente pode ser adiada.

No Maranhão, o PCdoB (depois de dois mandatos governando o estado) deve no máximo ter uma vice-governadoria ou ter um candidato ao senado, que pode ser o próprio Flávio Dino (PCdoB) ou o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB).

Já o senador Weverton (PDT) e o vice-governador Carlos Brandão (PRB) não devem trocar de legendas e são virtualmente os candidatos mais competitivos para suceder o governador Flávio Dino.

Por isso, o protagonismo do PCdoB nas eleições de São Luís será estratégico para manter os comunistas no jogo político maranhense.

Justiça, Política

Paço do Lumiar: Além de Núbia e Domingos Dutra, pré-candidato a prefeito e assessor de atual prefeita são acionados pelo Ministério Público

O Ministério Público do Maranhão ajuizou, em 31 de outubro, Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa contra dez envolvidos em um pregão presencial irregular, realizado em janeiro de 2017, pelo Município de Paço do Lumiar, para fornecimento de combustíveis para quatro secretarias. 

Na lista dos envolvidos constam o prefeito licenciado Domingos Dutra, os ex-secretários Fábio Pereira Campos (Semed), Nubia Dutra (Semaf), Nauber Meneses (Semdes) e Raimundo Nonato Cutrim e Elizeu Costa, da Semus.

Fábio Pereira Campos é conhecido como Fábio Rondon e pré-candidato à prefeito de Paço do Lumiar. Quem também consta na lista é Nauber Meneses, integrante do governo de Paula da Pindoba, prefeita interina da cidade.

Também são citados o ex-pregoeiro do Município, Márcio Gheysan Souza, a ex-servidora comissionada Ana Cláudia Belfort, a empresa Rolim & Rolim Ltda – ME e o empresário Welker Rolim.

O pregão presencial nº 003/2017 resultou em contratos entre a empresa Rolim & Rolim Ltda-ME e as secretarias municipais de Administração e Finanças (Semaf), Desenvolvimento Social (Semdes), Saúde (Semus) e Educação (Semed). O valor total dos contratos foi R$ 3.128.990,00. A ACP foi formulada pela promotora Gabriela Brandão da Costa Tavernard.

Política

Roberto Rocha ataca Flávio Dino, mas quem levanta a voz é Simplício Araújo

A tentativa do senador Roberto Rocha polarizar com Flávio Dino tem sido em vão. A área escolhida por Roberto Rocha tem sido defendida pelo titular da pasta, Simplício Araújo

O senador Roberto Rocha (PSDB-MA) tem tentado polarizar com o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), mas suas investidas tem tomado outro rumo e parado nas trincheiras de Simplício Araújo (SDD), secretário estadual de indústria e comércio do governo Flávio Dino. Pelo menos em duas vezes a crítica direcionada ao governador caíram no colo de Simplício. Para citar como exemplo teve o caso da fábrica da Heineken no Maranhão e mais recentemente o crescimento do PIB do Maranhão. Nas duas ocasiões quem subiu o tom para defender o governo do Maranhão foi Simplício Araújo.

Simplício que já foi alçado ao cargo de pré-candidato ao governo do Maranhão pelo seu partido Solidariedade, terá no senador Roberto Rocha uma boa vitrine para debater um assunto que Roberto Rocha gosta de dar pitaco – a economia. O tucano lançou uma nota em suas redes sociais em que critica o governador por ter comemorado o crescimento do PIB do Maranhão – o quarto maior crescimento, em 2017. “Esqueceu de dizer que esse resultado deve-se ao setor privado, em especial ao agronegócio que vem sustentando a economia do país, que sofre uma depressão na área industrial.”, disse Roberto Rocha depois de falar que Flávio Dino havia dito dez dias antes em seu Twitter que o setor privado nunca puxará investimentos.

Simplício Araújo vai na contramão da acusação do senador. Afirmou que o resultado do crescimento do PIB se deve ao fato dos investimentos iniciados em 2015, em que a Seinc trabalhou para dar mais segurança jurídica aos empresários que querem investir no Maranhão. “Além de uma mudança de dinâmica do ambiente de negócios, tornando-o extremamente republicano, democrático, respeitoso, de forma a contribuir com os investimentos privados”, disse Simplício.

“O Maranhão está atraindo os empresários pelo ambiente seguro, parceria e apoio republicanos, legislação e benefícios fiscais focados em segmentos econômicos e que viabilizam a implementação dos projetos e investimentos”, disse ainda o secretário de Indústria e Comércio. As investidas de Roberto Rocha tem servido a quem? Estaria o tucano Roberto Rocha colocando Simplício Araújo na estatura de um senador? Ou talvez Roberto Rocha tenha esquecido o que um senador faz?

Política

“A esta altura Lula já prometeu candidatura para Flávio Dino”, diz Ciro Gomes em entrevista

Em entrevista ao jornal El País, o ex-candidato à presidência nas eleições de 2018, Ciro Gomes (PDT) partiu para cima do ex-presidente Lula (PT). Para o pedetista, Lula está inflando candidaturas para 2022 no intuito de fortalecer o seu próprio projeto. Na visão do cearense, Flávio Dino (PCdoB) pode ser vítima das investidas de Lula.

Confira a entrevista completa: Ciro Gomes: “Meu pescoço já valia ouro, agora vale muito mais”

Porque a esta altura o Lula já prometeu a candidatura para o Flávio Dino, já insinuou que o Camilo Santana pode ser o candidato. O coitado do Haddad, que é saco de pancada e matéria para qualquer uso. E se submete a esse tipo de coisa. O Lula está dando corda ao Boulous. É um filme velho que eu conheço“, disse Ciro Gomes à jornalista Carla Jiménez do jornal El País.

Política

Em entrevista, Eduardo Braide continua negando apoios políticos

Em entrevista à rádio Educadora 560 AM, concedida nesta sexta-feira (08), o deputado federal e pré-candidato Eduardo Braide (PMN) disse que seu grupo político era o povo. A resposta se deu depois de responder aos apresentadores Juraci Filho e André Martins sobre alianças políticas.

Mais uma vez Eduardo Braide negou os apoios políticos que vem recebendo e se colocou como um candidato outsider que só conta com o apoio popular. Acontece que Braide é oriundo de uma família tradicional na política maranhense. Eduardo não fala de seus apoios que conta com a estrutura e simpatia de Josimar de Maranhãozinho (PR), Zé Reinaldo (PSDB), Roberto Rocha (PSDB), Sebastião Madeira (PSDB), Hilton Gonçalo (Sem Partido), Carlos Braide (Seu pai), Aluísio Mendes (PTC), Chico Carvalho (PSL), Edilázio Jr (PSD), entre outros.

Estes nomes podem seguir com uma forte base política para Eduardo Braide. Mas se continuar escondendo seus aliados pode acabar ficando somente com o povo. Ou nem isso.