A primeira infância deve ser uma pauta forte durante as eleições. O debate é mais amplo do que simplesmente falar de construção de creches. Um indicativo disso é a receptividade que o Papi, ou Programa de Apoio à Primeira Infância, tem recebido nas comunidades.

O responsável por levar essa discussão é o pré-candidato a prefeito de São Luís, Yglésio Moyses (PROS). O Papi, entre outras ações, transfere renda de até R$ 200 para famílias com crianças de 0 a 6 anos.

“Esse Papi veio a calhar, veio ajudar. Então, eu quero, assim, que meu neto seja feliz porque ele vai ser o futuro de amanhã.”, disse Narazeth, avó de uma criança durante encontro na Liberdade.

“Esse programa é uma ajuda, assim, incrível. Incrível mesmo, entendeu? Em relação aos nossos filhos. Porque, falou de filho, tá mexendo com mãe”, disse Margatyelle, mãe de dois filhos.

As histórias se repetem em cada novo encontro. A dificuldade de mães-solo na criação de seus filhos é recorrente em cada encontro levando para um ciclo difícil de ser quebrado. “O meu pai me abandonou (quando) eu tinha nove anos de idade. Eu cresci totalmente sem apoio de pai nos momentos que eu mais precisei, barras mesmo. Eu não tive presença de pai”, disse ainda a mãe Margatyelle.

“Não podemos deixar que sonhos dessas mães sejam interrompidos por falta do básico. Com o Papi, as crianças terão mais acesso à educação e as mamães terão mais tempo para estudar, trabalhar e dar aos seus filhos um início de vida melhor”, disse Yglésio Moyses ao comentar o propósito do Programa.

Além de passar na Liberdade, na última sexta-feira (4), o Papi Comunidades esteve neste domingo (6) reunindo mães da Vila Isabel Cafeteira e região.

Por Gilberto Léda