SÃO LUÍS – Em meio à pandemia do novo coronavírus, que já infectou 15.279 pessoas e matou 1.086 apenas na capital, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) deixou a Semus (Secretaria Municipal de Saúde) sem comando.

A saída do agora ex-titular, Lula Fylho, foi anunciada pela Prefeitura de São Luís desde a manhã de sábado 25, em ato repentino e não explicado pelo pedetista.

Até o momento, porém, ainda não foi nomeado o substituto, e sequer já escolhido alguém para a pasta.

No início de junho, a Semus foi alvo de busca e apreensão pela Operação Cobiça Fatal, deflagrada pela Polícia Federal e CGU (Controladoria-Geral da União). A investigação apura suposta fraude e superfaturamento na compra de máscaras de proteção individual, com dispensa de licitação, por R$ 2,3 milhões.

Edivaldo segue também em silêncio sobre a ação dos federais.

De Atual 7