O que seria debate de alto nível na eleição de São Luís?

Esse termo tomou de conta do vocabulário dos pré-candidatos a prefeito de São Luís: o debate de alto nível. Enquanto os pré-candidatos propõem um debate de ideias, não se enxerga um horizonte de avanço significativo nesta proposta da pré-campanha eleitoral. Ao que parece, de longe, trata-se apenas de uma retórica para que o interlocutor passe por um futuro candidato preparado para resolver os problemas da cidade. Será?

Com o período eleitoral curto o que menos vamos ter é tempo para conhecer a fundo os candidatos apresentados para comandar a cidade de São Luís nos próximos quatro anos a partir de 2021. Com inicio da propaganda eleitoral nos meios comunicação e Internet a partir do dia 16 de agosto e com o primeiro turno programado para 04 de outubro e um virtual segundo turno para o dia 25 de outubro, qual tempo que a população terá para torna-se espectadora de um “debate elevado e de alto nível”?

Leia também: Pré-aquecida na pré-campanha da ala governista

Os problemas da cidade são incontáveis e este período a única coisa que a população pode esperar é mais do mesmo. Diferente do que vai acontecer nos debates e embates promovidos por televisões. Espera-se que tenha debate na TV Guará, TV Difusora, TV Mirante e a recém-chegada, TV Nova também pode promover essa discussão da cidade, a exemplo do que já vem sendo feito através da Rádio Nova FM.

Porém, não faltam exemplo para os “preparados” fugirem destas questões no período eleitoral. O marketing político propõe para que está na frente não correr riscos de arranhar a imagem e atingir diretamente na sua preferência eleitoral. Quando ocupando o cargo, o mesmo acontece. Quando os problemas da cidade “pipocam”, o gestor some com receio de que sua imagem fique arranhada para uma reeleição ou mesmo para não atrapalhar o seu futuro político.

Quantos estão preparados para arranhar a imagem e ir para o debate de alto nível com a população, assim obtiverem êxito nas urnas? O jornal O Imparcial deste domingo trouxe o problema do transporte público de São Luís e um efeito colateral deste gargalo da gestão municipal, que são os “carrinhos”. Estes “carrinhos” já estão invadindo toda a cidade e vão somente acentuar o problema do transporte público.

Acontece que nenhum gestor até aqui pensou o transporte público sob a ótica da mobilidade urbana, tendo que resolver muitas outras questões para também resolver a questão do transporte público. Mas há quem propõe um debate de alto nível e aprova a política do ar condicionado e ônibus novo para resolver a questão da mobilidade urbana em São Luís.

Espera-se, então, que neste período pré-eleitoral possa ter confrontos diretos entre os pré-candidatos e aí sim, possibilitar que os olhos mais atentos possam separar o joio do trigo e escolher a melhor opção para comandar a capital maranhense.