Neste final de semana surgiu o desejo de ter secretário estadual de educação, Felipe Camarão (DEM), na disputa pela sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Jr, do Partido Democrático Trabalhista (PDT). O chamamento partiu do presidente municipal do PDT, o vereador Raimundo Penha.

Camarão é do mesmo partido do pré-candidato democrata Neto Evangelista. A pouco menos de um ano, o secretário de educação já havia dito em nota que o seu empenho era para continuar o trabalho na pasta de educação do governo Flávio Dino (PCdoB), descartando a possibilidade de ser candidato a prefeito de São Luís.

“Meu foco é continuar ajudando o governador Flávio Dino no grande desafio do Maranhão, que é a educação”, disse à época. Mesmo com o convite do presidente municipal do PDT, só tem um convite que faria Camarão mudar de ideia a essa altura do campeonato. O nome é Flávio Dino.

O governador já tem no solo com a candidatura de Rubens Pereira Jr e Duarte Jr, ambos do PCdoB. Seria razoável ter mais um pré-candidato do seu núcleo político? Se fosse para apaziguar os ânimos dentro do PCdoB, talvez sim.