O assassinato de mais dois indígenas, ocorridos no município maranhense de Jenipapo dos Vieiras, no sábado (7), levou para a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão o deputado estadual Dr. Yglésio. Os homicídios dos dois índios Guajajara, no final de semana, se somam aos assassinatos do ‘Guardião da Floresta’, Paulo Paulino Guajajara, e do caçador Márcio Gleick Moreira Pereira, ambos da mesma etnia, ocorridos num intervalo de pouco mais de um mês.

Para o deputado estadual Dr. Yglésio a invasão de terras indígenas e matança de índios é o reflexo da ‘impunidade institucionalizada’ pelo presidente da República. “Jair Bolsonaro, o nosso presidente, de maneira constante vocifera preconceitos contra os povos indígenas. Então, a partir do momento que você passa a contar com a impunidade institucionalizada do gestor máximo do país, não se pode esperar outra coisa. Mais índios foram assassinados no Maranhão, neste período”, disse o parlamentar, em seu discurso na tribuna.

Dr. Yglésio denunciou ainda que tem propagado em grupos de WhatsApp o discurso de ódio contra os índios. Ele lembrou que o direito à terra foi conquistado pelos povos indígenas durante muitos anos de luta. “Não é possível que o homem branco deslegitime o direito à terra que os índios conquistaram ao longo de muitos anos, conduzidas pela Funai que, agora, se transforma numa instituição que tende a retroceder com esta condução do governo federal”, destacou o parlamentar.

Inversão da lógica

A inversão da lógica da pauta indigenista foi destacada pelo parlamentar. “Bolsonaro quer produzir uma transformação dos povos indígenas. De vítimas do sistema, o presidente quer transformá-los em algozes. Reivindicar a terra é o único motivo para que esses índios sejam sentenciados à morte”, frisou Yglésio.

O parlamentar fez ainda um paralelo da liderança e popularidade do presidente Jair Bolsonaro com os caciques indígenas e lembrou que uma pesquisa divulgada no final de semana apontou que 80% dos brasileiros não acreditam no que o presidente Jair Bolsonaro fala.

“Sabe por que um cacique tem a admiração do seu povo? Porque ele não costuma trair a sua gente. Eles sabem que nele podem confiar. E esse, infelizmente, não é o sentimento que a gente pode ter hoje com o presidente Jair Bolsonaro. Uma pesquisa divulgada no final de semana mostrou que 80% dos brasileiros não acreditam no que ele fala; 43% desses 80% não acreditam no que ele fala de forma alguma e 37% acreditam eventualmente no que diz o presidente da República”, pontuou.

Ao lembrar do interesse que os madeireiros e grileiros têm pelas terras indígenas no Maranhão, o deputado estadual Zé Inácio (PT) parabenizou, em aparte, o Dr. Yglésio por levantar a discussão no início desta semana. “Quero parabenizá-lo pelo pronunciamento. Vossa Excelência traz um tema importante que nós, aqui no plenário desta Casa, temos que debater. Eu considero que são de fundamental importância manifestações como essa, porque nós chamamos a atenção das autoridades da Polícia Federal, do Ministério Público Federal e do próprio ministro da Justiça, para que providências sejam tomadas”, disse.